Início > Noticias > Escritor uruguaio Horacio Quiroga é tema da palestra de encerramento do ciclo ‘Literatura e loucura’, na ABL

Escritor uruguaio Horacio Quiroga é tema da palestra de encerramento do ciclo ‘Literatura e loucura’, na ABL

O escritor e tradutor Eric Nepomuceno faz na Academia Brasileira de Letras, a última palestra do ciclo de Conferências Literatura e loucura, intitulada Horacio Quiroga e seus contos de amor, de loucura e de morte, sob coordenação do Acadêmico e romancista Antônio Torres. O evento foi relaziado quinta-feira, dia 24 de maio, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., Avenida Presidente Wilson 203, Castelo, Rio de Janeiro.

Foram fornecidos certificados de frequência.

A Acadêmica e escritora Ana Maria Machado, Primeira-Secretária da ABL, é a Coordenadora-Geral dos ciclos de conferências de 2018.

Horacio Quiroga (1878-1937), segundo o palestrante, é considerado um dos fundadores do conto moderno na América Latina. “Julio Cortázar, por exemplo, considerava Quiroga um mestre”, um desses autores ‘capazes de escrever tensamente e descrever intensamente, única forma de tornar um conto eficaz’.

Contos de amor, de loucura e de morte reúne material publicado em diversas revistas, recolhidos em 1917 num livro cujo impacto inicial se tornou permanente, de acordo com Nepomuceno: “Os contos fazem jus ao título: a morte é figura central em todos eles, bem como a violência e a loucura, que faz com que personagens atuem de maneira absolutamente irracional. Também a natureza forte e perversa permeia as narrativas. A tudo isso deve ser somada a dificuldade, a quase impossibilidade de traçar limites entre o que é loucura e o que é sanidade, o que é patológico e o que pode ser considerado normal”, adiantou.

O CONFERENCISTA

Eric Nepomuceno é escritor e tradutor. Trabalhou no jornalismo cotidiano entre 1965 e 1986. Nesse período, foi correspondente estrangeiro na Argentina (1973/1976), Espanha (1976/1979) e México (1979/1983).

Atualmente, escreve para os jornais La Jornada, do México, e Página 12, da Argentina.

Autor de diversos contos (A Palavra Nunca, 40 dólares e outras histórias, Quarta-feira, Antologia Pessoal) e de livros de não ficção (Cuba: anotações sobre uma revolução, Hemingway na Espanha, O Massacre, A memória de todos nós, entre outros), Eric Nepomuceno tem obras de contos editados no México (Contradanza y otras historias, Antes del invierno, Bangladesh, tal vez, Las tres estaciones); na Espanha (Hemingway en España, Bangladesh, tal vez); e Portugal (Bangladesh, talvez e outras histórias). Em antologias, alguns de seus contos foram publicados em holandês, francês, húngaro e inglês, além do castelhano.

Traduziu para o português do Brasil mais de 80 livros, de autores como Eduardo Galeano, Horacio Quiroga, Julio Cortázar, Gabriel García Márquez, Juan Gelman, Juan Rulfo, Juan Carlos Onetti, Mario Benedetti, Gonzalo Rojas, Antonio Skármeta, Miguel de Unamuno, entre outros. Em três ocasiões, ganhou o prêmio Jabuti de tradução e, em uma, de não-ficção. Também foi premiado, como tradutor, pela União Brasileira de Escritores.

18/05/2018

Vídeos relacionados