Início > Noticias > ABL discute, em seu Seminário Brasil, brasis de julho, 'As artes plásticas hoje', com as participações de Paulo Venancio Filho e Paulo Sergio Duarte

ABL discute, em seu Seminário Brasil, brasis de julho, 'As artes plásticas hoje', com as participações de Paulo Venancio Filho e Paulo Sergio Duarte

A Academia Brasileira de Letras dá continuidade à série de Seminários “Brasil, brasis” de 2018 com o tema As artes plásticas hoje, sob coordenação geral do Acadêmico, professor, escritor e poeta Domício Proença Filho (quinto ocupante da Cadeira 28, eleito em 23 de março de 2006), e coordenação do Acadêmico e poeta Antonio Cicero (sétimo ocupante da cadeira nº 27, eleito em 10 de agosto de 2017). Os participantes convidados foram os professores Paulo Venancio Filho e Paulo Sergio Duarte, dois dos mais representativos críticos, escritores e curadores de arte no Brasil.

O Seminário Brasil, brasis tem patrocínio do Bradesco.

 

OS CONVIDADOS

Paulo Venancio Filho é curador, crítico de arte, professor titular na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pesquisador do CNPq. Publicou textos sobre diversos artistas brasileiros, entre eles Antonio Manuel, Hélio Oiticica, Cildo Meireles, Lygia Pape, Waltércio Caldas, Mira Schendel, Franz Weissmann, Iole de Freitas, Carlos Zilio e Anna Maria Maiolino.

Foi curador das seguintes exposições: O corpo da escultura: a obra de Iole de Freitas 1972-1997 (MAM-SP, 1997 – Paço Imperial, 1997), Century City: Art and Culture in the Modern Metropolis (Tate Modern, Londres, 2001);  Iberê Camargo: Diante da Pintura (Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2003); Time and Place: Rio de Janeiro 1956/1964 (Moderna Museet, Estocolmo, 2008); Nova Arte Nova (CCBB, Rio de Janeiro, 2008); Hot Spots (Kunsthaus Zürich, 2009); Cruzamentos (Wexner Center for the Arts, Columbus, 2014);  Possibilities of the Object: Experiments in Brazilian Modern and Contenporary Art (The Fruitmarket Gallery, Glasgow, 2015); e  Piero Manzoni (MAM-SP, 2015).

Paulo Sergio Duarte (João Pessoa, Paraíba, 1946) estudou na Escola de Sociologia e Política (Departamento de Economia) da PUC – Rio de Janeiro (1966-67); no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (Departamento de Filosofia) – IFCS da UFRJ (1968-69); Psicologia Clínica até o nível Maîtrise, na unidade de Ciências Humanas Clínicas da Universidade Paris 7.

Crítico, professor de história da arte e pesquisador do Centro de Estudos Sociais Aplicados – CESAP – da Universidade Candido Mendes, na qual dirige o Centro Cultural Candido Mendes Paulo Sergio Duarte exerceu diversos cargos públicos na direção de instituições da educação e da cultura no governo federal e nos governos estadual e municipal do Rio de Janeiro.

Foi curador de diversas exposições individuais e coletivas de diferentes portes. Lecionou Estética na Universidade Federal da Paraíba – UFPb (1978-1979); História da Cultura no curso de Desenho Industrial da Universidade Silva e Souza (1981-82); História e Arte Moderna no curso de pós-graduação de História da Arte e da Arquitetura no Brasil do departamento de História da PUC-Rio (1987-1990); desde 1998, leciona Teoria e História da Arte na Escola de Artes Visuais do Rio de Janeiro – Parque Lage, e nos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade Candido Mendes.

Publicou, entre outros, os livros Tunga – pálpebras (São Paulo: Galeria André Millan, 2017); Antonio Dias, junto com Achille Bonito Oliva (São Paulo: Cosac e Naify / APC, 2015); Arte Brasileira Contemporânea – um prelúdio (Rio de Janeiro: Instituto Plajap, 2008); A Trilha da Trama e outros textos sobre arte (Org.: Luisa Duarte. Rio de Janeiro: Funarte, 2004, 2ª edição, 2009); Carlos Vergara (Porto Alegre: Santander Cultural, 2003); Waltercio Caldas (São Paulo: Cosac e Naify, 2001) e Anos 60 – Transformações da arte no Brasil (Rio de Janeiro: Campos Gerais, 1998) e diversos textos sobre arte moderna e contemporânea em livros, catálogos e periódicos.

23/07/2018

Notícias relacionadas

Vídeos relacionados