Início > Acadêmicos > Carlos Nejar > Carlos Nejar

Bibliografia

Sélesis. Porto Alegre: Livraria do Globo, 1960.

Livro de Silbion (contos). Porto Alegre: Difusão de Cultura, 1963; 4.a ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

Livro do Tempo. Porto Alegre: Champagnat, 1965.

O Campeador e o Vento. Porto Alegre: Sulina, 1966.

Danações. Rio de Janeiro: José Álvaro Editor, 1969.

Ordenações. Porto Alegre: Editora Globo/INL, 1971. Prêmio Jorge de Lima do Instituto Nacional do Livro, para a obra inédita do ano de 1970.

Canga (Jesualdo Monte). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971; 2.a ed., bilíngüe-espanhol, tradutor Luís Oviedo.  Guarapari: Paiol da Aurora, Nejarim, 1993.

Casa dos Arreios. Porto Alegre: Editora Globo/INL, 1973.

O Poço do Calabouço. Lisboa: Livraria Moraes Editores, 1974 (esgotado). Prêmio Fernando Chinaglia (1974) da União Brasileira de Escritores.

O Poço do Calabouço. Rio de Janeiro: Editora Salamandra, 1977; 2.a ed., 1980; 3.a ed., Rio de Janeiro: Editora Record, 1983.

De Sélesis a Danações (2.a ed. dos cinco primeiros livros). “Coleção Sélesis”, São Paulo: Ed. Quíron/INL, 1975. Esgotado.

Somos Poucos. Rio de Janeiro: Editora Crítica, 1976.

Árvore do Mundo. Rio de Janeiro/Brasília: Nova Aguilar/INL, 1977; 2.a ed., Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1977. Prêmio Luísa Cláudio de Souza (1977) do PEN Clube do Brasil. Esgotado.

O Chapéu das Estações. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1978.

O Poço do Calabouço, Árvore do Mundo e O Chapéu das Estações (num só volume). São Paulo: Círculo do Livro, 1979. Esgotado.

Os Viventes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979. Ampliado, com o Livro das Bestas e dos Insetos. Rio de Janeiro: Ed. Record/Biblioteca Nacional, 2000; 3ª edição( com mais 200 viventes), editora Leya, São Paulo, 2010.Preparo da 4a edição com mais de cem personagens-poemas.

Um País o Coração. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

Obra Poética I. (Sélesis, Livro de Silbion, Livro do Tempo, O Campeador e o Vento, Danações, Ordenações, Canga, Casa dos Arreios, Somos Poucos e a Ferocidade das Coisas, inédito este último). Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1980. Prêmio Érico Veríssimo (1981), Câmara Municipal de Porto Alegre.

Fausto, as Parcas, Joana das Vozes, Miguel Pampa e Ulisses (poemas dramáticos). Rio de Janeiro: Editora Record, 1983. 2.a ed., Porto Alegre: Ed. Tchê, 1987.

Memórias do Porão. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1985.

A Idade da Aurora (rapsódia). São Paulo: Massao-Ohno Editor, 1990; 2.a ed., Vitória: Nemar Editora – Massao-Ohno, 1991.

Amar, a Mais Alta Constelação (sonetos). Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1991.

Miguel Pampa (poemas dramáticos). 2.a ed., Vitória: Nemar Editora – Massao-Ohno, 1991.

Meus Estimados Vivos (poemas). Vitória: Nemar Editora, 1991. Ilustrações de Jorge Solé e apoio da Prefeitura de Vitória. O primeiro livro de papel reciclado (em poesia) do País.

Elza dos Pássaros ou a Ordem dos Planetas. Paiol da Aurora, Guarapari: Editora Nejarim – Paiol da Aurora, Guarapari, 1993.

Simón Vento Bolívar. Edição bilíngüe português-espanhol, tradutor Luís Oviedo. Porto Alegre: Editora AGE, 1993.

Aquém da Infância. Guarapari: Editora Nejarim – Paiol da Aurora, 1995. Comemorativa dos 35 anos de poesia.

Arca da Aliança (poemas bíblicos). Guarapari: Editora Nejarim – Paiol da Aurora, 1995.

Os Dias pelos Dias (Canga, Árvore do Mundo e O Poço do Calabouço). Rio de Janeiro: Topbooks, 1998.

Todas as Fontes Estão em Ti. São Paulo: Editora Eclésia, 2000.

A Espuma do Fogo. São Paulo: Atelier Editorial, 2002.

Poesia Reunida. 2 vols. – A Idade da Noite e A Idade da Aurora. São Paulo/Rio de Janeiro: Atelier Editorial/Fundação Biblioteca Nacional, 2000.

A Idade da Eternidade (poesias completas). Lisboa, 2001.

Arca da Aliança. Cascais, Portugal: Editora Pergaminho, 2004.

Tratado de Bom Governo. São Paulo: Escrituras, 2004.O Inquilino da Urca, Edições Galo Branco, Rio, 2008.Fúria Azul, Antilegias, Ateliê Editorial,2012. Um homem do pampa:1. A Espuma do Fogo;2. República da Infância,ed. Corag, Governo do Estado do Rio Grandedo Sul, Porto Alegre,2012. Pequena Enciclopédia da Noite, Editora Quase, Porto, Portugal, 2008.POESIA REUNIDA : I. AMIZADE DO MUNDO; II. IDADE DA ETERNIDADE, editora Novo Século, São Paulo, 2009. O derradeiro Jó , R&F editora, Goiânia, 2009. Odysseus, o Velho –Companhia editorial, Porto Alegre, 2010.Também saiu a coleção de 14 volumes, de livros de bolso, da poesia esgotada  denominada “O Chapéu das Estações, pela Editora Unisul e Escrituras, Santa Catarina/São Paulo : vol. 1 Memórias do Porão/Meus estimados vivos; 2.A ferocidade das coisas/Um País O Coração; 3.A Idade da Aurora (Fundação do Brasil); 4.Amar: a mais alta constelação/Sonetos do Paiol, ao sul da Aurora/ O Inquilino da Urca; 5. Árvore do mundo; 6.Canga(Jesualdo Monte);7.Casa dos Arreios/Canções/Todas as fontes estão em ti;8.Danações/Somos Poucos/Velâmpagos ( haicais); 9. Livro de Silbion; 10.O Campeador e o Vento/Simón Vento Bolívar; 11.O Chapéu das Estações/Elza dos pássaros , ou a ordem dos planetas/O livro de Gazéis;12. O Poço do calabouço; 13.Odysseus, o velho; 14. Ordenações.E pela Editora Gazeta, de Santa Cruz do Sul, A Candeia de uma fábula; Lelé e eu, no início de 2016.

Teatro em Versos (8 poemas dramáticos). Prefácio de Antônio Hohlfeldt. Rio de Janeiro: Funarte, 1998.

Ensaio

A Chama é um Fogo Úmido (reflexões sobre a poesia contemporânea). Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 1994. (Coleção Afrânio Peixoto, vol. 23.)

Escritos com a Pedra e a Chuva. Rio de Janeiro, Academia Brasileira de Letras, 2000. (Coleção Afrânio Peixoto, vol. 54.)

O Caderno do Fogo. São Paulo: Editora Escrituras, 2000. (Coleção Ensaios Transversais); 2ª ed.., 2002.História da Literatura Brasileira, Ed. Ediouro, 2007,io. Nova edição ampliada aos contemporâneos –A HISTÓRIA DA LITERATURA BRASILEIRA Editora Leya, Primeira Edição e Segunda Ediçoã,2023.Terceira Edição, Ed. Unisul, de Santa Catarina,/Ecrituras, SãoPaulo,  2015.

Novela e romance

Um Certo Jaques Netan. Coleção “Imortais da Literatura”. São Paulo: Achê, 1991 (edição não-comercial). Rio de Janeiro: Record, 1991.

O Túnel Perfeito. Rio de Janeiro: Editora Relume-Dumará, 1994.

Carta aos Loucos. Rio de Janeiro: Record, 1999.2ª edição, editora Novo Século, 2008.

Riopampa – O Moinho das Tribulações. São Paulo: Editora Eclésia – Força Editorial, 2000. Ed. não comercial. Rio de Janeiro: Bertrand, 2004. 2.a ed., 2006.

Ulalume. Rio de Janeiro: Ed. Bluhm, 2001.

O Selo da Agonia (Livro dos Cavalos). Rio de Janeiro: Ed. Razão Cultural, 2002.

O Livro do Peregrino. Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 2002. Ed. Portuguesa, Lisboa: Ed. Pergaminho, 2002.

O Evangelho segundo o Vento. São Paulo: Ed. Escrituras, 2002.

A Engenhosa Letícia do Pontal. Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 2003.

O Poço dos Milagres. Rio de Janeiro: Bertrand, 2004. Prêmio para a melhor prosa poética da Associação Paulista de Artes, de São Paulo,2005).Publicou Jonas Assombro, ed. Novo Século, S. Paulo, 2008.Publicou em 2012, pela editora Nova Alexandria, Contos Inefáveis.E A negra labareda da alegria”( 2013), pela editora Nova Alexandria, de São Paulo. E A Vida secreta dos gabirus, ed. Record, 2014. E Matusalém de Flores, (Boitempo, 2014º), o feroz círculo do homem(Letra selvagem, 2015),romances.

Obra infanto-juvenil

Menino-rio. Porto Alegre: Ed. Mercado Aberto, 1985.

Jericó Soletrava o Sol e as Coisas Pombas. Rio de Janeiro: Ed. Globo, 1986.

Era um Vento muito Branco. Rio de Janeiro: Ed. Globo, 1987. Prêmio Monteiro Lobato, da Associação Brasileira de Crítica Literári;2ª edição –ed. Global , 2014.

A Formiga Metafísica. Rio de Janeiro: Editora Globo, 1988.

Zão. São Paulo: Ed. Melhoramentos, 1988. Prêmio para melhor livro infanto-juvenil, em poesia, da Associação Paulista de Críticos de Arte, 1989.

O Grande Vento. Rio de Janeiro: Edições Consultor, 1998.

Tumin, o Passarinho. São Paulo: Global Editora, 2001; 2.a ed., 2002.

Antologias (onde estão incluídos seus textos e poemas)

Nacionais

A Novíssima Poesia Brasileira (org. por Walmir Ayala), Série 2. Rio de Janeiro: Cadernos Brasileiros, 1962.

Dois Poetas Novos do Brasil (antologia com Armindo Trevisan). 1972.

Antologia da Literatura Sul-rio-grandense Contemporânea (org. por Antônio Holfeldt). Vol. 2. Porto Alegre: L&PM Editores, 1979.

Cinco Poetas Gaúchos (antologia). Assembléia Legislativa de Porto Alegre, 1977.

Histórias de Vinho (vários colaboradores). Porto Alegre: L&PM Editores, 1980.

Poetas Contemporâneos (org. por Henrique L. Alves). São Paulo: Roswitha Kempf Editores, 1985.

A Genealogia da Palavra. Prefácio de Eduardo Portella. São Paulo: Editora Iluminuras, 1989.

Poemas de Amor (seleção de Walmir Ayala). Rio de Janeiro: Ediouro, 1991.

Carlos Nejar (antologia) – “Minha voz se chamava Carlos”, Prefeitura de Porto Alegre, Unidade Editorial, 1.a edição, 1993; 2.a edição, 1994. (Coleção Petit Poá)

A Poesia da Geração de 60. Introdução e seleção de Pedro Lyra. Rio de Janeiro: Topbooks, 1995.

Antologia de Poetas Brasileiros. Seleção e coordenação de Mariazinha Congílio. São Paulo: Universitária Editora, 2000.

Os Melhores Poemas de Carlos Nejar. Prefácio de Regina Célia Colônia, 1981; 2.a ed. Prefácio e seleção de Léo Gilson Ribeiro. São Paulo: Global Editora, 1997; 3.a ed., 2013.

Os Cem Melhores Poemas do Século. Seleção de Italo Moriconi. Rio de Janeiro, Editora Objetiva, 2001.

Os Cem Melhores Poetas Brasileiros do Século. Seleção de José Nêumanne Pinto. São Paulo: Geração Editorial, 2001.

Breve História do Mundo. Prefácio e seleção de Fabrício Carpinejar. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.

Estrangeiras

La Poesía Brasileña en la Actualidad (org. por Gilberto Mendonça Teles). Montevidéu: Editora Letras, 1969.

Las Voces Solidarias (org. e trad. por Santiago Kovadloff). Buenos Aires: Editora Calicanto, 1978.

Poemas (trad. de Pèrez Só) in Poesia, n.o 42, Valencia, Venezuela: Ed. Carbobo, 1978.

Dois Poetas Novos do Brasil (antologia com Armindo Trevisan). “Círculo de Poesia”. Lisboa: Livraria Moraes Editores, 1972.

Antologia da Novíssima Poesia Brasileira (org. por Gramiro de Matos e Samuel de Seabra). Lisboa: Livros Horizonte, 1981.

Antologia do Círculo de Poesia (org. por Pedro Tamen). Lisboa: Livraria Moraes Editores, 1977.

Lateinamerika – Stimmen Eines Kontinents. Antologia de Literatura Latino-americana (org., trad. e com estudos de Günter W. Lorenz). Erdmann: Editorial Basiléia, 1974.

Brasilianische Poesie des 20 Jahrhunderts (org., trad. e com estudos de Curt Meyer Clason). Berlim: Deutsches Taschenbuch Verlag, 1975.

Antologia de The Tree of the World (trad. de Giovanni Pontiero). EUA, New Directions, 1980. An International Anthology of Prose & Poetry, n.o 40.

Antologia de Poems from Canga (trad. de Giovanni Pontiero). In Latin American Literature and Arts. Review n.o 28, jan./abr., 1981.

Yoke (Canga) – Jesualdo Monte (trad. de Madeleine Picciotto). In Quarterly Review of Literature, Poetry Series III, vol. XXII. Ed. por T. & R. Weiss, Princeton, New Jersey, 1981.

Poemas (trad. de Pèrez Só). In Poesia, n.o 42, Valencia: Ed. Carbobo, 1978.

Yugo (trad. Nahuel Santan). Buenos Aires, s.d.

World Literature Today (trad. de Richard Preto Rodas). Formely Books Abroad, vol. 53, University of Oklahoma, Winter, 79.

A Idade da Eternidade (org. por Antônio Osório). Porto: Gota de Água, 1981.

Dieser Tag Voller Vulcane (trad. Kurt Sharf). Verlag in Bauerhaus, Alemanha, 1984.

Antologie de la poésie brésilienne (trad. Bernard Lorraine). Paris: Éditions Ouvrières, 1986.

Faust (em edição bilíngüe, trad. de Kurt Sharf). Porto Alegre: Ed. Tchê, 1987.

Anthologie de la nouvelle poésie brésilienne (Présentation de Serge Bourjea, trad. Marcella Mortara). Paris: Éditions L’Harmattan, 1988.

Savremena Poeziga Brasila (org. e trad. de André Kisie). Bagdala (Iugoslávia), 1987.

Pérolas do Brasil (Brazilia Gyöngyei). Tradução de Lívia Paulini. Budapeste, Hungria, 1993.

Poeti brasiliani contemporanei – a cura di Silvio Castro. Centro Internazionale della Grafica di Venezia, 1997.

Os Dez Mandamentos – contos de vários autores. São Paulo: Ed. Nova Alexandria, 2001.

A Idade da Eternidade (Poesia reunida). Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 2001.

Histórias de Amor – contos de vários autores. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2003.

Arca da Aliança. Lisboa: Editora Pergaminho, 2004.

16 POEMAS De CARLOS NEJAR, Tradução ao espanhol de Antonio Maura e Alfredo Pérez Alencart, Residencia de Estudiantes, Madrid- lidos em 15 de outubro de 2015.   

Obra traduzida

A Ferocidade das Coisas (Von der Grausamkeit der Dinge). Tradução de Kurt Sharf, München: Sirene, 1992. Publicada em Salzburg, Áustria, 2002.

The Age of the Dawn, tradução de Madeleine Picciotto, 50th Anniversary Anthology, Quarterly Review of Literature, Series XII, Edited by T.R. Weiss, Princeton, N. Jersey, USA. 1993.

Affonso Romano de Sant’Anna et Carlos Nejar, Deux poètes brésiliens contemporains. Trad. e seleção de Regina Machado. Revue La Sape, n.o 54, Paris, 2000.

La férocité des choses, de Carlos Nejar. Trad. de Raymond Farina, revue Arpa, n.o 73-74, Paris, 2001.

A Ferocidade das Coisas (Von der Gransamkeit der Dinge). Bilíngüe, tradução de Kurt Sharf, Salzburg, Áustria: Ed. Jung und Jung, 2002.

Miei cari vivi. Trad. de Francesca degli Atti, Vera Lúcia de Oliveira, Maria Eugenia Verdager. Salerno: Multimédia Edizioni, 2004.

La Edad de la AuroraFundación del Brasil. Virgílio López Lemus, ed. Editorial, Arte y Literatura, Havana, Cuba, 2004.

Abraham Lincoln and lament for the pain of New York, trad. FRred P. Ellison, Edições Bagaço, Recife -2013.

Antologias (que organizou)

Antologia de um Emigrante do Paraíso (Antônio Osório), com Prefácio introdutório. São Paulo: Massao-Ohno Editor, 1981.

Antologia da Poesia Portuguesa Contemporânea (a partir de Victorino Nemésio). Apresentação, seleção de poemas, dados biográficos e bibliográficos. São Paulo: Massao-Ohno Editor, 1982.

Antologia da Poesia Brasileira Contemporânea (a partir de 1945). Apresentação, seleção de poemas, dados bibliográficos dos poetas. Prefácio de Eduardo Portella. Lisboa: Imprensa Nacional e Casa da Moeda, 1986.

Caronte e Memória. Prefácio de Pedro Tamen. São Paulo: Ed. Escrituras, 2003.

Antologia de Vicente Huidobro , introdução crítica e tradução –ed. Academia Brasileira de Letras e Academia Chilena de la Lengua, Chile, convênio, 2008;

Antologia de Nicanor Parra , introdução crítica e tradução- ed. Da Academia Brasileira de Letras e Academia Chilena de la Lengua, Chile, 2009.

Traduções

BORGES, Jorge Luis. Ficções. Porto Alegre: Editora Globo, 1970. Elogio da Sombra (em parceria com Alfredo Jaques). Porto Alegre: Editora Globo, 1971.

NERUDA, Pablo. Memorial de Ilha Negra – Vol. I, Onde Nasce a Chuva. Rio de Janeiro: Editora Salamandra, 1977. Prêmio de tradução do ano concedido pela Associação dos Críticos de Arte de São Paulo. Memorial de Ilha Negra. 2.a ed. completa, 1980.

As Uvas e o Vento. Porto Alegre: L&PM Editores, 1980.

Cem Sonetos de Amor. Porto Alegre: L&PM Editores, 1979. Atualmente na 20.a edição.

Da Bibliografia sobre o Autor destacam-se:

Livros

CASTRO, SÍLVIO. Modernização/Modernidade.Sete Poetas Contemporâneos da Academia Brasileira de Letras, Edições Galo Branco, Rio de Janeiro, 2006.

COELHO, Nelly Novaes. Carlos Nejar e a “Geração de 60”. Coleção “Escritores de Hoje”, São Paulo: Editora Saraiva, 1971.

REICHMANN, Ernani e Linhares, Temístocles. Poética de Carlos Nejar. Curitiba: Imprensa da Universidade Federal do Paraná, 1973.

CARMO, Paulo Roberto do. Dicionário de citações da Ficção de Carlos Nejar – introdução e seleção, ed. Batel e ABL, Rio, 2009.

CORONADO, Guilherme de la Cruz. O Espessamento Poemático em Carlos Nejar. 1.a edição pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Preto, São Paulo, em 1977. 2.a edição, atualizada, pelas Edições da Universidade do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1981.

LINHARES, Temístocles. A Poética de Carlos Nejar. Curitiba: Imprensa da UFPr, 1973.

MODERNO, João Ricardo. Carlos Nejar, poeta da condição humana – reunião de ensaios sobre o poeta, Editora Gramma, Rio, 2009, comemorando os seus 70 anos.

NEIVA, Saulo. Avatares da epopeia. Ed. Fundação Joaquim Nabuco, Recife, 2009.

PONTIERO, Giovani. Carlos Nejar, Poeta e Pensador. Ensaios escolhidos e introdução crítica. Edições Porto Alegre, Divisão de Cultura, Prefeitura Municipal, 1984. Tradução do inglês por Noel Delamare.

Os Personae-poemas de Carlos Nejar. Porto Alegre: Editora Tchê, 1986. Tradução do inglês por Patrícia Bins.

Fascículo – Autores gaúchos – Coleção n.o 8, Carlos Nejar. Porto Alegre: Instituto Estadual do Livro, 1985. 2.a ed., 1989.

Estudos em livros e revistas:

BRASIL, Assis. A Nova Literatura (II. A Poesia). Rio de Janeiro/Brasília: Companhia Americana e INL, 1975.

Dicionário Prático de Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1979.

O Livro de Ouro da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: Ed. Tecnoprint, 1982.

CANÇADO, José Maria. Prefácio de O Chapéu das Estações. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979.

CANTER, Rita. Depoimento Literário. Porto Alegre: Ed. Flama, 1971.

CARPEAUX, Otto Maria. Pequena Bibliografia Crítica da Literatura Brasileira, com Apêndice de Assis Brasil. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1967.

CHAGAS, Wilson. Inteira Voz, seguida de Existência e Criação. Porto Alegre: Ed. Champagnat, 1976.

COELHO, Jacinto do Prado. “Carlos Nejar, poeta da condição humana”, in Camões e Pessoa – Poetas da Utopia. Lisboa: Publicações Europa-América, 1983.

COELHO, Nelly Novaes. “Uma poética antropológica”, in Casa dos Arreios. Porto Alegre: Ed. O Globo/INL, 1973.

CUNHA, Fausto. “E gritar: Poeta ao Sul!” in A Leitura Aberta. Rio de Janeiro: Editora Cátedra/INL, 1978.

DANTAS, José Maria de Souza. “Poética de Carlos Nejar – Assentada”, in Novo Manual de Literatura. Rio de Janeiro: Editora Difel, 1979.

Didática da Literatura. Rio de Janeiro: Ed. Forense Universitária, 1982.

DUARTE, José Afrânio Moacir. Palavra Puxa Palavra. São Paulo: Ed. do Escritor, 1982.

Enciclopédia de Literatura Brasileira / Oficina Literária Afrânio Coutinho. Direção de Afrânio Coutinho e J. Galante de Sousa. Rio de Janeiro: FAE, 1989. Vol. 2, p. 965.

FARIA, Álvaro Alves de .Pastores de  Virgílio, ed. Escrituras, S. Paulo, 2009.

FOSTER, David William e Reis, Roberto. A Dictionary of Contemporary Brazilian Authors. Arizona: Center for Latin American Studies, 1981.

FREIXEIRO, Fábio. Diversos/Dispersos. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro/INL, 1980.

GAMA, Mauro. In Árvore do Mundo. 2.a ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1977.

GONÇALVES, ADELFO.O espetáculo da palavra. Correio do Brasil, São Paulo, 7 .1.2016.

HICKMANN, Blásio e Faraco, Sérgio. Quem é Quem nas Letras Rio-grandenses. Porto Alegre: Divisão de Cultura, 1982. 2.a ed., 1983.

HOHLFELDT, Antônio. “Três constelações metafóricas na poesia de Carlos Nejar”, in Mudanças. Co-edição da Universidade de Caxias do Sul e Escola Superior de Tecnologia São Lourenço de Brindes, 1977. Coleção Chronos.

“Quatre poètes pour une nouvelle poésie”, in Littérature du Brésil. Paris: Pub. Europe, 1982.

Antologia da Poesia Rio-grandense contemporânea. Porto Alegre: L&PM Editores, 1979.

“A dramática epopéia humana”, in Cotidiano da Escrita. Porto Alegre: Edipaz, 1986.

HOUAISS, Antônio. Estudo introdutório de Danações. Rio de Janeiro: José Álvaro Editor, 1969.

“Apresentação”, de Canga. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971.

“Prefácio” para o Livro de Gazéis. Lisboa: Livraria Moraes Editores, 1983. Rio de Janeiro, Record, 1984.

JOZEF, Bella. O Jogo Mágico. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1980.

JUNQUEIRA, Ivan. À Sombra de Orfeu. Rio de Janeiro: Ed. Nórdica, 1984.

O Encantador de Serpentes (ensaios). Rio de Janeiro: Ed. Alhambra, 1987.

Ensaios Escolhidos, v. 2. São Paulo: A Girafa, 2004.Prefácio de Os Viventes, Ed. Leya, 3ª edição, São Paulo, 2010.

KÖPKE, Carlos Burlamáqui. Sobre Poesia e Poetas. São Paulo, 1979.

LEAL. Cláudio Murilo . “A poesia de Carlos Nejar”.Poesia sempre, n. 31, ano 16, 2009.

LEAL, César. Dimensões Temporais na Poesia e outros Ensaios. Rio de Janeiro: Imago, 2005.

LINHARES, Temístocles. Diálogos sobre a Poesia Brasileira. São Paulo: Melhoramentos/INL, 1976.

LISBOA, Eugênio. “Vai, passeante, contar em Lacedemônia”, in Os Viventes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979.

LORENZ, Günter W. Lateinamerika – Stimmen Eines Kontinents. Nota crítica e bibliográfica. Alemanha: Erdmann, 1974.

LUCAS, Fábio. A Face Visível. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1973.

LUCCHESI, Marco. Posfácio de Riopampa. São Paulo: Ed. Eclésia – Força Editorial, 2000.

LYRA, Pedro. O Real no Poético. Rio de Janeiro: Editora Cátedra/INL, 1980.

MALARD, Letícia. Escritos de Literatura Brasileira. Belo Horizonte: Editora Comunicação, 1981.

MAROBIM, Luiz. A Literatura no Rio Grande do Sul – Aspectos Temáticos e Estéticos. Porto Alegre: Martins Livreiro Editor, 1985.

MARTINS, Ari. Escritores do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Co-edições URGS/IEL, 1978.

MENEZES, Raimundo. Dicionário Literário Brasileiro. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editores S/A, 1978.

MERQUIOR, José Guilherme. O Fantasma Romântico e Outros Ensaios. Petrópolis: Vozes, 1980.

MEYER-CLASON, Curt. Brasilianische Poesis des 20 Jahrhunderts. Estudo crítico da poesia brasileira. Alemanha: Deutscher Taschenbuch Verlag, 1975.

MIRADOR, Enciclopédia Internacional. Rio de Janeiro, Encyclopaedia Britannica do Brasil, 1976. Vol. 4, pp. 1702 a 1725.

MODERNO, JOÃO RICARDO.(organizador).Conjunto de artigos de vários autores.Livro –Carlos Nejar , o Poeta da Condição Humana . Ed. Gramma, Rio de janeiro, 2009.

OLINTO, Antonio. A Invenção da Verdade. Rio de Janeiro: Ed. Nórdica/INL, 1983.

ORNELLAS, Monoelito. Máscaras e Murais de Minha Terra. Porto Alegre, 1966.

OSÓRIO, Antônio. “Carlos Nejar”, in Ignorância da Morte. Lisboa: Ed. Presença, 1976.

PACHECO, Fernando Assis. “Carlos Nejar chega à vizinhança de Deus”. Rio de Janeiro: José Olympio, 1985.

PICCIOTTO, Madeleine. Yoke (Canga). Introduction. Poetry. Série III, Vol. XXII. New Jersey: T&R Weiss, 1981.

PY, Fernando, Chão da Crítica. Rio de Janeiro: Ed. Francisco Alves/INL, 1984.

PÓLVORA, Hélio. Graciliano, Machado, Drummond e Outros. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

PONTIERO, Giovanni. Carlos Nejar – Poeta e Pensador. Reunião de ensaios de críticos brasileiros e portugueses, com a Introdução crítica “Carlos Nejar e a poesia de meditação”, bibliografia e notas. Porto Alegre: Divisão de Cultura, 1983.

Os Personae-poemas de Carlos Nejar. Porto Alegre: Editora Tchê, 1986.

Carlos Nejar’s Tree of the World. An International Anthology of Prose & Poetry. USA, 1980.

PORTELLA, Eduardo. “Carlos Nejar – a ressurreição da palavra e a colheita do tempo”, in Genealogia da Palavra. São Paulo: Iluminuras, 1989.

REICHMANN, Ernani. “Sobre Casa dos Arreios”, in Cadernos Passionários I, II, III. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 1975.

“Nótulas sobre Somos Poucos, O Poço do Calabouço e Árvore do Mundo, de Nejar”, in Cadernos ECR. Curitiba: Imprensa Universitária do Paraná, 1977.

“Nejar e as estações”, in Cadernos ECR III. Curitiba: Imprensa Universitária do Paraná, 1979.

“Uma epopéia de Nejar” (por Sorte Peer) e “A poética de Carlos Nejar”, in Cadernos ECR IV, V e VI. Curitiba: Imprensa Universitária do Paraná, 1981.

“Obra poética ou obras”, in Cadernos PS, I. Curitiba: Imprensa Universitária do Paraná, 1981.

“Nejariana”, in Ser e Sismar VIII/IX-84. Curitiba: Imprensa Universitária do Paraná, 1984.

RIBEIRO, Léo Gilson. “Amoroso, elegíaco, meditativo, social, épico: Carlos Nejar”, in Três Livros. São Paulo: Ed. Círculo do Livro, 1979.

RITA, Annabela. “Pequena enciclopédia da noite”. Colóquio-Letras, n.174, Maio/Agosto, Lisboa, 2010.

ROSA, Antônio Ramos. “Dois poetas, dois caminhos”, in Dois Poetas Novos do Brasil. Lisboa: Livraria Moraes Editores, 1973.

A Poesia Moderna e a Interrogação do Real (II). Lisboa: Editora Arcádia, 1980.

SANCHES NETO, Miguel. Entre Dois Tempos (viagem à literatura contemporânea do Rio Grande do Sul). São Leopoldo: Editora Unisinos, 1999.

SIEBENMANN, Gustav. Poesía y Poéticas del Siglo XX en la América – Hispana y el Brasil. Madri: Gredos, 1997.

SOUSA,  DIEGO MENDES. Posfácio ao romance O feroz círculo do homem , ed. Letra Selvagem,Taubaté, 2015.

TEIXEIRA, IVAN . Aba de capa , da Espuma do Fogo, Ateliê Editorial São Paulo,2002;Contra-capa de A Fúria Azul,  Ateliê Editorial, São Paulo, 2012.Estudo crítico sobre Os Viventes como poesia/ficção- em 2012.

TELES, Gilberto Mendonça. Camões e a Literatura Brasileira. Lisboa: Ed. Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 2001.