Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Início > Acadêmicos > Carlos Diegues

Perfil do Acadêmico

Décimo ocupante da Cadeira 7, eleito em 30 de agosto de 2018 na sucessão do Acadêmico Nelson Pereira dos Santos e recebido pelo Acadêmico Geraldo Carneiro em 12 de abril de 2019.
Cadeira: 
7
Posição: 
Atual
Antecedido por:
Data de nascimento: 
19 de Maio de 1940
Naturalidade: 
Maceió - AL
Brasil
Data de eleição: 
30 de Agosto de 2018
Data de posse: 
12 de Abril de 2019
Acadêmico que o recebeu: 
Fotos relacionadas
Ver todas as fotos

Notícias relacionadas

Artigos relacionados

  • O cinema como espelho do povo de uma nação

    O Globo, em 17/10/2021

    Redes sociais: Paulo Offshore Guedes mandou pros destinos competentes um plano do governo de acabar com todo e qualquer tipo de investimento do Estado no cinema. Acabou-se Lei do Audiovisual, Lei Rouanet, Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e mesmo a Ancine, que já não funciona pro cinema brasileiro, vai acabar sendo fechada.

  • Pátria amada

    O Globo, em 24/10/2021

    Quem quiser que não se importe, ninguém é obrigado. Mas já estamos a menos de um ano das eleições de 2022, a campanha já começou em uma porção de sentidos. E quem a inaugurou, desde que assumiu, foi o próprio presidente, que não pensa e nunca pensou em outra coisa. O que você acha que ele anda fazendo, às custas de dinheiro público, a semana inteira a visitar cidadezinhas do interior, sobretudo no Nordeste? Há sempre o pretexto de uma inauguração qualquer, mas no fundo o discurso é sobre o que ele já fez e quer continuar a fazer pelo Brasil. Como esse Auxílio aos que necessitam, cruel mentira na economia do país. E nós, fazemos o quê?

  • O sábio se basta

    O Globo, em 03/10/2021

    O livro era tão pequenininho que nem parecia um livro. Mas quando meu amigo anunciou um presente para mim, me facilitou a identificação do objeto em sua mão: “Trouxe um livro de presente para você.” Enquanto eu lia o que ia na capa bem editada da Auster, ele me explicava: “É um equívoco o que dizem dos cineastas brasileiros, que resistimos ao rodo que os governos querem sempre passar no cinema nacional, em nome dos mesmos ideais esquerdistas com que fazemos os filmes.” Ele apontou para o livrinho que eu abria naquele momento: “O que nós somos está aí: somos estoicos, como Sêneca!”

Vídeos relacionados