Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Início > Artigos > Iberidade

Iberidade

 

O ensaio é um gênero literário desde Montaigne. No Brasil o ensaísmo literário une-se ao filosófico em Tobias Barreto, patrono de uma das Cadeiras da Academia Brasileira de Letras, e ao sociológico em Silvio Romero, um dos seus fundadores. Vamireh Chacon, mesmo com formação universitária de doutoramento no Brasil e na Alemanha e pós-doutoramento nos Estados Unidos, permaneceu fiel às origens ibéricas, em meio às influências germânicas da Escola do Recife na Faculdade de Direito de Pernambuco, e norte-americanas de Gilberto Freyre em Apipucos. Foi Ortega y Gasset quem começou a revelar o pensamento hispânico e o alemão à geração de Eduardo Portella, Nelson Saldanha e Vamireh Chacon, e para a anterior, a de Hélio Jaguaribe e Cândido Mendes, no Nordeste e outras partes do Brasil.

A fidelidade de Vamireh Chacon à iberidade continuou presente no seu itinerário intelectuaI, como se vê em vários dos seus artigos e ensaios resultantes de suas pesquisas principalmente em Caracas e Bogotá, entre os quais os que escreveu sobre o poeta Natividade Saldanha e o General Abreu e Lima, pernambucanos refugiados na Venezuela e na Colômbia, companheiros de Simón Bolívar em suas campanhas de independência dos países hispano-americanos. Vamireh Chacon não se esquece de sempre incluir conferências suas nas universidades de Lisboa - desde a chamada clássica à nova e à técnica - e Coimbra, Porto, Minho e Evora, ao lado da complutense de Madrid e a de Salamanca, entre outras, principalmente da Alemanha, França, Grã-Bretanha e Estados Unidos.

Desde 1991, Vamireh Chacon participa dos colóquios do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira no Brasil e em Portugal, do qual é um dos fundadores e teve em Miguel Reale sua presidência de honra. No seu livro A Grande lbéria (Convergências e divergências de uma tendência), Vamireh Chacon procura aproximar as influências de Portugal e das Espanhas - castelhana, galega, catalã e outras - no Brasil em João Cabral de Melo Neto, Eduardo Portella, Ariano Suassuna e Nélida Piñon. Propõe até uma aproximação prática maior entre a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), sediada em Lisboa, e a CIN (Comunidade Ibero-Americana de Nações), outro tanto em Madrid.

Em O Brasil e o ensaio hispano-americano, Vamireh Chacon estuda as afinidades e aproximações, até mesmo influências recíprocas, entre escritores ensaístas brasileiros e os dos países nossos vizinhos, Assim vemos o interesse de Joaquim Nabuco pelo Chile, em Balmaceda, Oliveira Lima em Na Argentina e Impressões da América espanola, e Jorge Luis Borges quatro vezes no Brasil e muitos outros. Borges traduzido entre nós por Ivan Junqueira e Carlos Nejar. São laços profundos que nos unem, não só às culturas, extensivos a inúmeros outros. Livros de poemas de Lêdo Ivo foram traduzidos ao castelhano no México, Peru e Espanha.
 
A publicação de O Brasil e o ensaio hispano-americano de Vamireh Chacon situa-se no contexto das comemorações do Bicentenário da Independência da Argentina, às quais também assim se associa a Academia Brasileira de Letras.

Diário de Pernambuco, 26/10/2010